PESQUISA BTG/FSB: Cai em seis pontos a diferença entre Lula e Bolsonaro

0
222
Diferença entre Lula e Bolsonaro cai em seis pontos percentuais, aponta pesquisa BTG/FSB.

Em duas semanas, a vantagem de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) sobre Jair Bolsonaro (PL) cai seis pontos no primeiro turno da disputa à Presidência da República. É o que aponta a novo levantamento BTG/FSB, divulgado nesta segunda-feira (08).

Na pesquisa estimulada, Lula aparece com 41% das intenções de voto, enquanto Bolsonaro tem 34%, o que representa uma diferença de sete pontos percentuais. No fim de julho, o petista registrava 44% das intenções de voto, e o presidente, 31%, ou seja, a diferença entre os candidatos era de 13 pontos percentuais à ocasião.

Na sequência, aparecem Ciro Gomes (PDT), com 7%, Simone Tebet (MDB) com 3%, André Janones (Avante) com 2%, (sendo que o candidato teve seu nome incluído porque quando a pesquisa foi registrada, no último dia 2, ainda era pré-candidato à Presidência. Ele anunciou a desistência no dia 04). José Maria Eymael e Pablo Marçal têm 1% cada. Brancos e nulos somam 2% e não sabem ou não responderam, 3%. Felipe D’Ávila (Novo), Vera Lúcia (PSTU), Sofia Manzano (PCB), Leonardo Péricles (UP) e Roberto Jefferson (PTB) somam, juntos, 1%.

A pesquisa realizada pelo Instituto FSB Pesquisa, ouviu, por telefone, (via CATI), entre os dias 05 e 07 de agosto de 2022, 2 mil eleitores. A margem de erro é de 2 pontos percentuais, com intervalo de confiança de 95%. A pesquisa está registrada no TSE sob o número: BR-08028/2022.

ELEITOR

Com relação ao perfil dos eleitores, Lula (PT) tem a preferência de 44% das mulheres e de 39% dos homens. Já Bolsonaro (PL), aparece com 42% das intenções de voto entre os homens e 26% entre as mulheres. Com relação à faixa etária, Lula tem maior preferência entre os eleitores com 60 anos ou mais (47%), enquanto Bolsonaro tem maior preferência entre os eleitores entre 25 e 40 anos (41%). Já tratando-se de religião, Lula tem mais aceitação entre os Católicos (50%), e Bolsonaro, entre os Evangélicos (51%).

Questionados sobre a certeza na decisão de voto para 1º turno, 73% dos entrevistados afirmaram que já estão decididos e não mudarão mais de opinião. Em 25 de julho, este índice era de 75%. Outros 25% responderam que ainda podem mudar o voto, 1% a mais do que o registrado em 25 de julho. Não sabem ou não responderam somam 2%.

 

 

Deixe seu comentário