Equatorial é multada em R$ 10 milhões por má prestação de serviços em Jaraguá

0
612
Flagrante de situação em Jaraguá - Goiás — Foto: Reprodução/Procon.

A empresa Equatorial, responsável pelo fornecimento e distribuição de energia em Goiás, foi multada em mais de R$ 10 milhões por má prestação de serviços em Jaraguá, no centro de Goiás.

A multa foi aplicada pelo Procon da região, que alegou, além da baixa qualidade dos serviços prestados, falta de retorno da empresa quanto à solução de problemas na rede de energia da cidade.

Em resposta, a Equatorial informou que foi notificada da multa e “adotará as medidas processuais cabíveis”. (Veja a nota completa ao final da matéria).

A diretora do Procon de Jaraguá, Charlene Ramos, explicou que a aplicação da multa aconteceu depois de pelo menos três reuniões com representantes da distribuidora de energia visando a resolução de problemas como a queda constante de energia elétrica no município.

Charlene informou ainda que o telefone 0800 da Equatorial para atendimento ao público não está em pleno funcionamento, e até mesmo membros do Procon têm dificuldade em contatar e obter retorno da empresa por um telefone específico para o órgão.

É um canal direto, em que não estamos tendo tanta facilidade em fazer acordos, em cumprir prazos”, afirmou a diretora, que acrescentou que a Equatorial teria começado um processo de melhorias na rede de Jaraguá em março deste ano, mas que até hoje não foi concluído.

O interesse do Procon não era a multa, mas sim a melhoria do serviço”, pontuou Charlene, que justificou o valor alto da sanção por conta de uma portaria do Procon Goiás que determina que multas em casos de danos coletivos são sete vezes mais altas.

O que diz a Equatorial
Em nota, a Equatorial Energia declarou o que segue:

“A Equatorial Goiás informa que foi notificada sobre a multa aplicada pelo Procon de Jaraguá e adotará as medidas processuais cabíveis. A companhia ressalta que as reclamações sobre fornecimento de energia elétrica no Procon Goiás diminuíram cerca de 50% de janeiro a abril deste ano, em relação ao mesmo período do ano passado. Já na Agência Goiana de Regulação (AGR) a queda no número de reclamações foi de 28,6% também neste primeiro quadrimestre.

A distribuidora destaca que dispõe de um canal de atendimento exclusivo aos Procons, que conta com equipe especializada para prestar os devidos esclarecimentos a todas as solicitações registrada junto ao órgão. A empresa reafirma que está comprometida em atender todos os casos com o máximo de transparência e rapidez.”

 

Deixe seu comentário