GO: Mulher é presa suspeita de matar o marido envenenado

0
739
Sueli Alves dos Santos Oliveira é suspeita de matar envenenado o marido José Maria em Bela Vista de Goiás — Foto: Montagem.

Sueli Alves dos Santos Oliveira, de 42 anos, foi presa suspeita de matar envenenado o marido, José Maria Vieira de Oliveira, de 49 anos, em Bela Vista de Goiás, na Região Metropolitana de Goiânia.

De acordo com a delegada Mágda D’Ávila, o casal teve uma briga na noite anterior da morte e a mulher simulou uma cena de suicídio.

Os policiais encontraram um vidro de ‘chumbinho’ e a gente percebeu que ela estava de olho no vidro enquanto os policiais estavam na casa. A perícia detectou o veneno em um copo, na pia da cozinha, e até na caixa de gordura”, descreveu a delegada.

A polícia informou que Sueli nega o crime e alega que o marido suicidou para colocar a culpa nela. O IU não conseguiu contato com a defesa da suspeita até a última atualização dessa reportagem.

O crime aconteceu na última sexta-feira (23) e a família informou à polícia que a suspeita fez um plano funerário para o marido em abril deste ano, o que pode indicar que ela premeditava o crime. Vizinhos contaram à polícia que o casal estaria em processo de separação e ela tinha dado uma série de murros no rosto dele.

[O homem] foi até a casa de um casal de vizinhos e narrou que estava com medo de ser morto por sua esposa, mostrando uma lesão na cabeça provocada por ela. Ele relatou que ela queria ele lhe desse o valor de metade da residência e da motocicleta do casal. Os vizinhos também relataram que a vítima os advertiu que se algo acontecesse com ele, que soubessem que teria sido sua esposa”, descreveu a ocorrência.

Os filhos do homem falaram também para a delegada que Sueli teria tentado matar o ex marido, de Brasília, no Distrito Federal. Por causa disso, ela seria proibida de manter contato com os filhos que ela têm em comum com o homem.

A delegada explicou que a suspeita apresentou duas identidades com sobrenomes diferentes por causa de casamentos anteriores. Por isso, a foto dela foi divulgada para identificação de outras possíveis vítimas, seguindo os ditames da Lei 13.869/2019 e Portaria 02/2020-PCGO.

 

Deixe seu comentário