ITAPACI: Serial killer de Goiás é condenado novamente há 20 anos de prisão pela morte de jovem Itapacina

0
990

Na manhã desta quarta-feira (02/03), o serial killer Tiago Henrique Gomes da Rocha, 28, voltou ao banco dos réus, no 1º Tribunal do Júri de Goiânia.

Após decisão do júri popular, ele foi condenado a 20 anos de prisão pelo assassinato da jovem de Itapaci que residia em Goiânia, Juliana Neubia Dias, 22 anos, assassinada em julho de 2014. A pena será cumprida na Penitenciária Odenir Guimarães, em Aparecida de Goiânia.

O júri popular acatou a tese apresentada pelo promotor de Justiça Maurício Gonçalves de Camargos, de que o vigilante cometeu homicídio duplamente qualificado, por motivo torpe (que contraria ou fere os bons costumes, a decência, a moral) e com recurso que impossibilitou a defesa da vítima.

Esse foi o segundo júri popular enfrentado por Tiago Henrique, no último dia 16 ele foi condenado a 20 anos de prisão pela morte da estudante Ana Karla Lemes da Silva, de 15 anos.

O Crime:

Juliana foi morta em julho de 2014 com dois tiros no pescoço e no tórax, quando estava no carro com o namorado, os dois estavam parados num semáforo, no setor Oeste, em Goiânia. Tiago Rocha se aproximou em uma moto e efetuou os disparos.

Segundo a família, o crime ocorreu quando a jovem, o namorado e um amiga estavam indo a um bar do Setor Marista para comemorar o aniversário de Juliana, que tinha sido há dois dias.

Saudade:
A mãe e a irmã de Juliana, que moram em Itapaci,  estiveram presentes no Fórum para assistir ao julgamento de Tiago Henrique. Muito abalada, a dona de casa Nilta Maria de Jesus, de 57 anos, se limitou a dizer que a “saudade é demais” da filha.

A irmã mais velha de Juliana, Mirian Aparecida Guiar Silva, de 26 anos, conta que todos sentem muita falta da jovem. Ela destacou que, apesar da condenação, “nada vai trazê-la de volta”. Mirian considera injusto o fato de Tiago ficar apenas 30 anos detido, o máximo de anos que permite a justiça brasileira.

“Nem parece que é justiça, porque não vai ficar preso o tempo que deveria ficar. Ele tinha que ficar preso até o fim da vida, mas não vai. É revoltante”, lamentou a jovem.

Namorado de Juliana na época do homicídio, o comerciante Mauro Stone, de 28 anos, também compareceu ao julgamento. Ele foi a única testemunha a depor, pois estava no momento do crime.

O comerciante declarou que só guarda boas lembranças da jovem. “Ela era uma pessoa muito carinhosa, responsável no serviço, nos estudos. Pessoa com integridade, com um caráter indiscutível”, declarou.

Juliana Neubia Dias, 22 anos, foi assassinada em Goiânia, Goiás
Juliana Neubia Dias, 22 anos, foi assassinada em Goiânia, Goiás

Fonte: G1.com/goiás

 

 

Deixe seu comentário