Em Goiás, lojas de material de construção são notificadas por aumento de preços

0
54

Até a última quarta-feira (22/7), 80 lojas do ramo de venda de material de construção foram notificadas pela Superintendência de Proteção do Consumidor de Goiás (Procon-GO) por aumento abusivo de preços, em Goiás. Através da operação de nome Construção Justa, as empresas contatadas deverão apresentar, em até 10 dias úteis, as notas fiscais dos produtos referentes ao período anterior e posterior à pandemia para que o órgão de fiscalização consiga comparar os valores cobrados.

A operação teve início após denúncia de consumidores os quais notaram o aumento de preço em produtos como tijolos, telhas, cimento etc. Até o momento, o Procon Goiás já visitou as cidades de Anápolis, de Aparecida de Goiânia, de Campo Limpo de Goiás, de Nerópolis e de Goiânia.

Além das 80 lojas do ramo de material de construção, outros 10 estabelecimentos comerciais foram notificados, dentre eles olaria (1) em Nerópolis; depósito (1) e cerâmicas (4) em Anápolis; e olarias (5) em Campo Limpo de Goiás.

Após a notificação do Procon Goiás, as empresas têm prazo de 10 dias úteis para apresentar documentação que justifique o aumento abusivo de preços. “Após a apresentação, diante da análise dos documentos, será possível comparar os valores praticados no período pré-pandemia e os praticados durante pandemia. Após esse processo, a Superintendência tomará as devidas providências”, explicou o superintendente do Procon Goiás, Allen Viana, ao portal da instituição.

Deixe seu comentário
SHARE
Goiano, 26 anos, Casado, Pai, Redator e Proprietário do Jornal Itapaci Urgente. Aqui a notícia é verdade.