Novo decreto em Goiás será ‘rígido’ e deve liberar só supermercados, farmácias e setor de produção de alimentos

0
84

O governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), afirmou na terça-feira (12) que vai baixar um novo decreto mais “rígido” em relação ao coronavírus e vai liberar somente serviços que ele considera essenciais, como supermercados e farmácias. O documento, ainda sem data para ser publicado, deve ser nos moldes do que foi editado em 13 de março, que determinou situação de emergência em saúde pública.

Em entrevista à Rádio CBN Goiânia, Caiado disse que a medida é importante para voltar a aumentar o índice de isolamento no estado e, assim, evitar a disseminação de coronavírus. Goiás já teve a maior quantidade de pessoas em casa no país, mas foi diminuindo a restrição e, agora, está entre os últimos estados em um ranking feito com base em dados de celulares.

Questionado se a situação no estado voltaria a ser como a estipulada no primeiro decreto, em março, Caiado respondeu: “Exatamente, voltará a ser apenas a parte essencial. Agora, com muito mais estrutura, com toda minha área de Segurança Pública”.

O governador afirmou que o decreto está sendo redigido “rapidamente”. Assim que o documento entrar em vigor, ele espera que o isolamento social volte a se aproximar dos 60%.

“Vamos baixar um decreto mais rígido e vamos fazer com que haja um fechamento significativo das atividades econômicas, prevalecendo apenas o que é essencial mesmo, o que significa hospitais, drogarias, supermercados e transformação de alimentos”, enumerou.

O governador afirmou que o novo decreto deve ter prazo de 10 a 15 dias. Neste período, vai avaliar a situação dos casos de coronavírus no estado para decidir sobre novas regras de combate à pandemia.

Deixe seu comentário
SHARE
Goiano, 26 anos, Casado, Pai, Redator e Proprietário do Jornal Itapaci Urgente. Aqui a notícia é verdade.