Homem confessa à polícia ter matado o amante após ameaças, em Campos Verdes

0
59

Um homem confessou à Polícia Civil ter matado o amante, de 38 anos, após receber ameaças de que o caso seria revelado à esposa, em Campos Verdes, região Norte de Goiás. A vítima, identificada como Nariston da Silva Oliveira, foi morta a tiros e teve o corpo carbonizado.

O delegado responsável pela investigação, Nelinho José de Almeida, disse que o autor do crime se apresentou a uma delegacia de Itapaci depois de a vítima ser encontrada em uma chácara, na última sexta-feira (22). O corpo já estava em estado avançado de decomposição.

O nome do suspeito não foi divulgado pela corporação. Segundo o delegado, ele não está preso porque se apresentou à polícia e contribui com a investigação.

“O autor alegou em depoimento que marcou um encontro com a vítima na chácara, e ela apareceu com uma arma e apontou para ele. Mas conseguiu pegar a arma e atirar no amante”, relata o delegado.

Conforme a investigação, depois de deixar o corpo do amante próximo a uma casa abandonada da chácara, o autor voltou à cena do crime no dia seguinte para colocar fogo no corpo e na moto da vítima. A arma usada no crime e o veículo não foram encontrados pela polícia. Por estes motivos, o caso foi instaurado como latrocínio, que acontece em roubo seguido de morte.

Ameaças

O caso extraconjugal aconteceu em Goiânia no início de novembro. O autor alegou ter conhecido a vítima em uma saída à noite, quando dormiram juntos. Depois, conforme o depoimento, o autor retornou a Campos Verdes.

Depois disso, segundo o delegado, a vítima procurou o homem em Campos Verdes com ameaças de contar para a esposa dele sobre a traição. A polícia acredita que o amante chegou à cidade último no dia 18. “A recepção do hotel nos contou que o homem alugou um quarto e disse que voltaria no mesmo dia, mas não voltou”, explica Almeida. (Informações G1 Goiás).

Deixe seu comentário
SHARE
Goiano, 26 anos, Casado, Pai, Redator e Proprietário do Jornal Itapaci Urgente. Aqui a notícia é verdade.